domingo, 13 de setembro de 2009

Pitanga | Poesia

Sim, eu sou a primeira e a última.
Sou a honrada e a desdenhada.
Sou a meretriz e a sagrada.
Sou a esposa e a virgem.
Sou (a mãe) e a filha.
Sou os membros de minha mãe...
Sou o silêncio incontrolável e a idéia cuja herança é frequente.
Sou a voz cujo som reverbera e a palavra que se repete.
Sou a expressão vocal de meu nome.
("The Thunder, Perfect Mind", Nag Hammadi Library)

Trecho que faz parte do livro "A Prostituta Sagrada - a face eterna do feminino", de Nancy Qualls-Cobertt.

Nenhum comentário:

Postar um comentário